Pesquisar neste blog

Language

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Pishing, como Funciona

Email

Um estelionatário envia e-mails falsos forjando a identidade de entidades populares consideradas confiáveis, tais como sítios de entretenimento, bancos, empresas de cartão de crédito, lojas, órgãos governamentais, etc. Geralmente, as mensagens são enviadas para milhões de endereços de e-mail que foram previamente coletados na Internet. A entrega dos e-mails, normalmente, é feita por computadores que estão sob o controle de pessoas mal intencionadas e incluem, principalmente, servidores de e-mail mal configurados e computadores com conexão banda larga infectados com cavalos de tróia propositadamente desenvolvidos para permitir o envio de e-mail em massa.

Por Mensageiros Instantâneos

Como uma das principais formas de comunicação no mundo atual, os mensageiros instantâneos estão longe de estarem isentos dos perigos do Phishing. Na verdade, pode-se dizer que é um dos terrenos mais férteis para a proliferação deste ataque, devido a alguns fatores, a serem aqui citados. O primeiro destes fatores é o tipo de comunicação que geralmente se estabelece em mensageiros instantâneos.


É uma comunicação mais informal, entre indivíduos que geralmente se conhecem ou são até mesmo grandes amigos. Todo este ambiente “familiar” traz uma maior sensação de segurança, fazendo com que os cuidados sejam reduzidos, até porque em muitas vezes o remetente da mensagem é um amigo de confiança que foi, contudo, infectado por um malware que está distribuindo a mensagem através de sua rede de contatos. Em segundo lugar, podemos citar a velocidade (em tempo real) e grande quantidade de conversas estabelecidas simultaneamente. Estando o usuário perdido em tantas conversas, nas quais a troca de URL's é comum e constante, uma URL maliciosa tem maiores chances de passar despercebida.


Além disso, a maior percentagem de usuários deste tipo de software engloba leigos em geral, crianças e adolescentes, que muitas vezes não possuem a capacidade de discernir entre mensagens autênticas e maliciosas, acabando por acessar portais maliciosos e/ou efetuar o download de malwares sem ter notícia de tal. Este fato agrava-se caso o computador seja compartilhado com outros que possam vir a efetuar possíveis transações bancárias (ou ações de importância equivalente) nesta mesma máquina, uma vez que pode estar infectada por keyloggers. Fatores humanos somam-se a periculosidade do ataque de Phishing Scam, tornando este vetor possivelmente mais ameaçador que e-mails.

Sites de Relacionamento

Assim como no caso dos mensageiros instantâneos, os sites de relacionamento são, por assim dizer, ambientes virtuais mais descontraídos que, por exemplo, uma caixa de e-mails, e novamente tem-se uma redução na cautela. Não assemelha-se apenas neste ponto: Além disto, na maior parte das vezes o remetente da mensagem é algum amigo de confiança, possivelmenteinfectado por um malware. Por se tratar de uma rede onde circulam fotografias, informações da vida alheia, e onde estabelecem-se paralelos com o mundo real, são estes os pontos que os phishers exploram.


As possibilidades são inesgotáveis: os atacantes indicam a existência de uma foto da vítima circulando pela rede, de uma comunidade difamando-a, ou de um vídeo que deveria ser assistido, dentre outros. Os sites de relacionamento são um terreno fértil para phishings, pois nas páginas de recados, além da disseminação de links ser normal, são de acesso público (se não forem definidos como privados), e há a possibilidade de fisgar outros usuários que naveguem pela rede. Devido à desenfreada inclusão digital, temos nestes, ainda, muitos usuários leigos, completamente vulneráveis, passíveis de serem facilmente fraudados.


Etapas do processo tradicional

1) Fase de planejamento (Fase inicial): Nesta fase, o atacante escolhe seu alvo, define o objetivo do ataque, de que artimanhas vai se valer e o método a utilizar.


2) Fase de preparação: Nesta fase, elabora-se todo o material a ser utilizado, como e-mails, websites falsos, dentre outros. Obtém-se informações sobre o alvo, prepara toda a parte eletrônica a ser utilizada no ataque e, no caso de atacantes mais experientes, eleva seu nível deocultação.


3) Fase de ataque: Na fase de ataque, o atacante utiliza a via pela qual optou na fase de planejamento. O ataque pode ocorrer: • Via e-mail; • Via website; • Via mensageiros instantâneos; • Via VoIP; • Via malware;


4) Fase de coleta: Nesta fase, ocorre a coleta dos dados obtidos com o ataque. Dados inseridos em páginas web previamente preparadas para o ataque, em respostas das mensagens disparadas ou capturadas por malwares.


5) Fase da fraude: Fase onde ocorre a fraude propriamente dita. Nesta fase, há o roubo de dinheiro, de informações sensíveis, apropriação da identidade alheia para cometer outros delitos,vendê-las a quem interesse ou utilizar em um segundo ataque em busca do objetivo definido na fase inicial.


6) Fase pós-ataque: Nesta fase ocorre o desligamento das máquinas utilizadas, e a destruição das evidências. Há ainda a avaliação da efetividade e possivelmente lavagem do dinheiro adquirido (no caso de tê-lo sido).


Tipos de Furtos

[editar]Furto de identidade

Uma técnica popular é o furto de identidade via e-mail. Estelionatários enviam e-mails tentando persuadir os receptores a fornecer dados pessoais sensíveis, tais como nome completo, endereço, nome da mãe, número da segurança social, cartões de crédito, números de conta bancária, entre outros. Se captados, esses dados podem ser usados para obter vantagens financeiras ilícitas.


A identidade usada nessas mensagens, geralmente, é de órgãos governamentais, bancos e empresas de cartão de crédito. No corpo da mensagem, normalmente, existem ligações que apontam para sítios falsos, normalmente muito parecidos com os sítios verdadeiros, onde existem formulários que a vítima deve preencher com as informações solicitadas. O conteúdo preenchido no formulário é enviado ao estelionatário.

[editar]Furto de informações bancárias

A forma de persuasão é semelhante à do furto de identidade, porém a mensagem recebida contém ligações que apontam pra sítios que contém programas de computador que, se instalados, podem permitir a captura de informações, principalmente números de conta e senhas bancárias. A instalação desses programas é, na maioria absoluta dos casos, feita manualmente pelo usuário. Tecnicamente, pode existir a possibilidade da instalação automática desses programas apenas pela leitura da mensagem, mas isso depende de uma combinação de muitos fatores, que raramente acontece (e que não vale a pena ser explicada aqui).


No Brasil, o phishing via e-mail não vem apenas com o nome de entidades famosas. São usados diversos tipos de assuntos com o intuito de atrair a curiosidade e fazer com que o receptor da mensagem clique na ligação contida junto ao corpo do e-mail. Na figura ao lado uma suposta admiradora secreta envia supostas fotos suas. Na verdade, a ligação não contém fotos, mas sim um arquivo executável, que ao ser baixado e executado instala um cavalo de tróia (trojan) bancário no computador do usuário. Outro tema muito comum são os cartões virtuais. Eles são um bom chamariz, visto que é comum as pessoas trocarem cartões virtuais via e-mail.


Os supostos cartões virtuais, normalmente, têm a sua identidade associada a de algum sítio popular de cartões virtuais. Isso ajuda a tentativa de legitimar o golpe e tenta dar mais credibilidade à farsa. A mensagem tem o mesmo formato e, geralmente, utiliza as imagens originais dos sítios de cartões virtuais. Um detalhe em que o usuário deve prestar a atenção são os erros de gramática que essas mensagens geralmente apresentam. Outro detalhe fundamental é que ao clicar em ligações contidas nessas mensagens quase sempre é aberta uma janela para download de arquivo. Nenhum site sério de cartões requer que o usuário baixe qualquer arquivo!


Dicas para se proteger

[editar]Alguns cuidados ao ler e-mail

[editar]Verifique o remetente do email

Desconfie de e-mails que não tenham um remetente conhecido. Ao receber e-mail de pessoas desconhecidas duplique o cuidado em relação às mensagens. Principalmente, pense duas vezes antes de clicar em qualquer ligação no conteúdo da mensagem. Não acredite em ofertas milagrosas (do estilo "almoço grátis").
Tenha cuidado também com e-mails de um remetente conhecido.


Caso o conteúdo do e-mail contiver arquivos, links para outras páginas ou imagens, verifique com o remetente a autenticidade da mensagem. Facilmente golpistas podem falsificar sua identidade de remetente como alguem ou alguma instituição de confiança.

[editar]Não baixe e nem execute arquivos não solicitados

Cavalos de tróia e outros programas que capturam senhas são "não solicitados". Se alguém conhecido enviar um arquivo que você não pediu, verifique com a pessoa se ela realmente enviou o arquivo, e pergunte qual o conteúdo deste. Evite, ao máximo, executar programas. Programas que têm o nome do arquivo (a extensão) terminado em alguma dessas: .exe, .scr, .pif, .cmd, .com, .cpl, .bat, .vir entre outros, podem ser, em alguns casos, maliciosos.

[editar]Tópicos de segurança na Internet

[editar]Certifique-se de ter um antivírus atualizado no seu computador

Programas antivírus podem ajudá-lo filtrando possíveis ameaças vindas por e-mail. Entretanto, lembre-se: você é a primeira linha de defesa! O programa antivírus é a segunda linha. Os programas antivírus usam assinaturas determinísticas pra detectar programas maliciosos. As empresas de antivírus precisam primeiro receber um exemplar do vírus antes de prover uma assinatura e detectá-lo.


Geralmente, a freqüência média de detecção dos vírus capturadores de senhas bancárias é menor do que 90%[1], independente da empresa que os fornece. Ou seja, mesmo tendo um antivírus atualizado não é garantido que o arquivo será identificado e bloqueado. Mas um antivirus atualizado aumenta as chances de detecção desses programas.


Certifique-se de ter um firewall habilitado

Mais um item não relacionado a phishing, mas a segurança em geral. Ter um firewall instalado e habilitado bloqueia algumas tentativas de acesso externo ao computador tornando menos vulnerável a possíveis ataques externos.

Fonte: Wikipedia

Leonardo Brito de Oliveira (ShadowVp)

Nenhum comentário:

Postar um comentário